1 de outubro de 2012

Pneumonias Adquiridas na Comunidade


INTRODUÇÃO
As infecções do trato respiratório são mais frequentes do que as encontradas em  qualquer outro órgão e são responsáveis pelo maior número de dias de trabalhos  perdidos na população geral. A pneumonia é uma injúria do parênquima pulmonar de  causa infecciosa ou não-infecciosa. Iremos nos deter a falar das causas infecciosas que ocorrem na comunidade.
Constantemente estamos em contato com microorganismos causadores de infecções, porém só adoecemos quando os mecanismo de defesas estiverem deficientes ou quando a resistência geral do indivíduo estiver reduzida, este último pode ser exemplificado em doenças crônicas, imunodeficiências e tratamentos imunossupressores. Os mecanismos de defesa que precisam ser abalados para que ocorra a pneumonia são:
1- Perda ou supressão do reflexo da tosse
2- Dano ao aparato mucociliar
3- Diminuição da função fagocítica ou bactericida dos macrófagos alveolares
4- Congestão pulmonar e edema
5- Acúmulo de secreção
6- Defeitos da imunidade inata ou específica

As pneumonias adquiridas na comunidade podem ser causadas por dois tipos de microorganismos principasis: bactérias e vírus.

PNEUMONIAS BACTERIANAS
As pneumonias bacterianas têm como principais agentes:
1-Streptococcus pneumoniae
2- Haemophillus influenzae
3- Moraxella catarrhalis
4- Staphylocuccus aureus
5- Klebsiella pneumoniae
6- Pseudomonas aeruginosa
7- Legionella pneumophilia

Morfologicamente, a pneumonia bacteriana se apresenta em dois padrões  macroscópicos principais: broncopneumonia e pneumonia lobar.
 ·         Broncopneumonia
Predomina uma consolidação exudativa esparsa do pulmão.

                                                                     Rx de Tórax 
                                                   
                                                                Macroscopia

                                                                      Microscopia
       Epitélio
bronquiolar
parcialmente
destruido (seta)

        Luz repleta de
exsudato
purulento



                                                                 Broncopneumonia
                                                                Pulmão normal

                                                           Predomínio de polimorfonucleados.
                                         
      ·         Pneumonia lobar
      Predomina uma consolidação fibrino-psupurativa de uma grande porção de um lobo ou
     de todo um lobo pulmonar.


Antes do advento da antibioticoterapia, quatro estágios  da resposta inflamatória eram classicamente descritos: congestão, hepatização vermelha, hepatização cinzenta e resolução. O estágio de congestão é caracterizado pelo ingurgitamento vascular, líquido intra-alveolar com poucos neutrofilos, em geral com a presença de numerosas bactérias. O estágio de hepatização vermelha é caracterizado por exsudação de hemácias, neutrófilos e fibrina, preenchendo os espaços alveolares. Macroscopimantente, o pulmão assemelha-se a um fígado pela vermelhidão e consistência compactado, não-aerada. O estágio de hepatização cinzenta caracteriza-se por desintegraçã das hemácias e persistência de um exsudato fibrino-supurativo. No estágio de resolução, o exsudato consolidado sofre digestão enzimática.




                                              Raio-X de pneumonia lobar (lobo superior)


                                               Raio-X de pneumonia lobar (lobo médio)



                                          Hepatização cinzenta









Complicações da pneumonia: formação de abcesso, empiema, organização do exsudato em tecido fibrótico, bacteremia e sepse.

O quadro clínico da pneumonia bacteriana é tipicamente febre alta de início abrupto, calafrios e tosse produtiva com escarro mucopurulento.

PNEUMONIAS ATÍPICAS (Vírus e Micoplasma)
O termo "atípica" se refere a menor quantidade de escarro que na bacteriana, à ausência de achados físicos de consolidação, elevação moderada da contagem de leucócitos e ausência de exsudatos alveolares.
As pneumonias atípicas têm como principais agentes:
1- Vírus influenza tipos A e B
2- Vírus sincicial respiratório
3- Adenovírus
4- Rinovírus
5- Herpes simples
6- Citomegalovírus
7- Mycoplasma pneumoniae

Morfologicamente, a pneumonia atípica se apresenta com padrão macroscópicos do tipo intersticial.


Pneumonia intersticial



Raio-X de pneumonia intersticial






Pneumonia intersticial:
septos interalveolares espessados, celularidade aumentada às custas de infiltrado inflamatório crônico linfomonocitário

Predomínio linfomonocitário


Pneumonia por Citomegalovírus (CMV)


Inclusões intracelulares de CMV



Em fases avançadas, a pneumonia intersticial pode levar a um dano alveolar difuso (membrana hialina).






                                                                        BRUNA SILVA CIARLINI
                                                                             Acadêmica de Medicina-UFC
                                                                              Integrante da Liga de Patologia


 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
             Robbins & Cotran; PATOLOGIA: BASES PATOLÓGICAS DAS DOENÇAS; 8ª Edição,                2010. Ed. Elsevier
                http://anatpat.unicamp.br/
 


Um comentário: