24 de outubro de 2010

MENINGIOMAS

DEFINIÇÃO
O termo meningioma foi usado por Harvey Cushing para designar neoplasias das meninges. Os meningiomas são predominantemente tumores benignos dos adultos, que se originam de células meningoteliais da aracnóide.
Referência: NETTER, F. H. Atlas de Anatomia Humana. 4 ed.


As células neoplásicas lembram fibroblastos, pois derivam dos fibroblastos da camada superficial da aracnóide. Como estes, são achatadas e se unem entre si à maneira de um epitélio. Por isso, são chamadas células meningoteliais.

Células meningoteliais (maior aumento)




EPIDEMIOLOGIA
Correspondem a cerca de 15% dos tumores intracranianos. São os tumores cerebrais primários não-gliais mais comuns. Ocorrem mais comumente em mulheres entre os 40 e 50 anos de idade. São raros em crianças (apenas 1,5% dos meningiomas), porém, quando ocorrem, tendem a ser mais agressivos.

Referência: http://anatpat.unicamp.br/pecasneuro58.html

CLÍNICA
Os meningiomas são usualmente lesões de crescimento lento que se apresentam assintomáticos ou com sintomas típicos de uma síndrome neurológica devida à compressão de estruturas nervosas adjacentes (efeitos de massa, convulsões). O tumor tem preferência por certas regiões e uma tendência a produzir hiperostose do crânio, e alguns sintomas são específicos da localização do tumor.

Hiperostose
TC demonstrando hiperostose da asa esfenoidal e teto da órbita.
Referência: RENGACHARY, S. S. Principles of Neurosurgery. 2 ed.





Referência: http://anatpat.unicamp.br/nptneoministu3.html#meningioma

 Os locais mais comuns de comprometimento incluem a parte para-sagital da convexidade cerebral, a dura sobre a parte lateral da convexidade, a asa do esfenóide, a goteira olfatória, a sela turca e o forame magno.
Referência: : RENGACHARY, S. S. Principles of Neurosurgery. 2 ed.

 As lesões são usualmente solitárias, e sua presença em múltiplos lugares, especialmente em associação com neuromas do acústico ou tumores gliais sugere neurofibromatose tipo 2.


MACROSCOPIA
Os meningiomas geralmente apresentam-se como um tumor globular com pequena aderência à dura-máter, que frequentemente comprimem o cérebro subjacente. Os meningiomas são bem delimitados, redondos ou ovais, e muitas vezes são multilobulados. 

Referência: ROBBINS; CONTRAN. Bases Patológicas das Doenças. 7 ed.
Outro padrão de crescimento característico é o da variante em placa, na qual o tumor se espalha como uma folha ao longo da superfície da dura-máter. Essa forma está comumente associada com alterações reativas hiperostóticas no osso suprajacente. Os meningiomas são rosados e firmes e sua consistência varia de macia e facilmente aspirável a bastante endurecida (podem ser extremamente calcificadas com corpos psamomatosos).

Nódulo de tecido neoplásico aderido a um retalho de dura-máter, com cerca de 2 cm. de diâmetro, superfície externa levemente nodular, consistência firme e elástica. Ao corte, cor branca e aspecto homogêneo. Apenas um ponto de calcificação foi encontrado na implantação dural (não visível nas fotos). 
Referência: http://anatpat.unicamp.br/nptmeningioma16a.html

Meningioma
Referência: http://library.med.utah.edu/WebPath/CNSHTML/CNS114.html

MICROSCOPIA
A maioria dos meningiomas são classificados como grau I pelo esquema de classificação da OMS (variando de I a IV), apresentando um risco relativamente baixo de recorrência ou de crescimento agressivo. (Vide tabela)

Graduação dos meningiomas pela OMS

Meningioma
Grau OMS
Meningioma meningotelial
I
Meningioma fibroso/fibrocístico
I
Meningioma transicional
I
Meningioma psamomatoso
I
Meningioma angiomatoso
I
Meningioma microcístico
I
Meningioma secretor
I
Meningioma rico em linfoplasmócito
I
Meningioma metaplásico
I
Meningioma atípico
II
Meningioma de células claras
II
Meningioma coroidal
II
Meningioma rabdóide
III
Meningioma papilar
III
Meningioma anaplásico (maligno)
III
 Obs: Grau IV – não há meningiomas com esse grau (Tabela)

Vários padrões histológicos podem ser observados, porém não possuem significância prognóstica. São eles: meningotelial (grupos de células em espiral, aglomeradas em grupos compactos sem membranas celulares visíveis), fibroblástico (células alongadas com abundantes depósitos de colágeno entre elas), transicional (com características comuns aos tipos meningotelal e fibroblástico), psamomatoso (numerosos corpos psamomatosos, formando-se pela calcificação dos ninhos sinciciais de células meningoteliais ), secretório (com gotículas intracitoplasmáticas PAS positivas e lúmens intracelulares na microscopia eletrônica) e microcístico (aspecto frouxo e espongiforme).

Diferenciação: Corpos Psamomatosos X Corpos Pseudopsamomatosos – Coloração PAS


Padrão  fibroblástico: As células são alongadas e em orientação paralela, formando feixes.


Padrão  meningotelial: As células achatadas dispõem-se lado a lado à maneira de epitélio, imitando a arquitetura da camada superficial da aracnóide, de cujas células o meningioma deriva.


Padrão  transicional: As células assumem arranjo concêntrico em bulbo de cebola, formando redemoínhos que recapitulam estruturas semelhantes na aracnóide normal.


Padrão em células claras: Menos freqüente, notado aqui principalmente nas proximidades de áreas hialinizadas. Pode imitar o aspecto clássico dos oligodendrogliomas. 
Referência: http://anatpat.unicamp.br/nptmeningioma7a.html



Alguns subtipos tumorais descritos mais recentemente – células claras, rabdóide e cordóide – juntamente com o subtipo papilar, são os mais agressivos e com maior tendência a recorrência. Os tumores malignos são classificados pela freqüência de mitoses (meningiomas atípicos – 4 ou mais mitoses por 10 campos de grande aumento; meningioma maligno – mais de 20 mitoses por 10 campos de grande aumento ), invasão cortical e metástases.

Meningioma atípico

IMUNOISTOQUÍMICA
Os meningiomas são comumente imunorreativos para o antígeno da membrana epitelial, embora quanto mais alto o grau do tumor, menos proeminente isto pode ser. A queratina está restrita às lesões com padrão secretório, e estes tumores são também positivos para o antígeno carcinoembriônico.
Antígeno epitelial de membrana – imunoistoquimica

Antígeno cárcino-embriônico (CEA) - imunoistoquímica
Referência: http://anatpat.unicamp.br/nptmeningioma14b.html

Importante!
Fatores hormonais podem desempenhar papel na gênese dos meningiomas; receptores de progesterona e, em menor extensão, receptores de estrógeno foram detectados no tumor. Esses receptores de esteróides podem estar relacionados à gênese da neoplasia, justificando, assim, a alta incidência desses tumores nas mulheres, seu crescimento acelerado durante a gravidez e sua possível associação com o carcinoma de mama, outro tumor ligado a receptores hormonais.

Receptor de progesterona é positivo em alta proporção dos núcleos
Referência: http://anatpat.unicamp.br/nptmeningioma6a.html


GENÉTICA
A anormalidade citogenética mais comum é a perda do cromossomo 22, especialmente o braço longo (22q). As deleções incluem a região 22q12 que abriga o gene NF2 (gene mutado na neurofibromatose tipo 2).
Codifica a merlina, proteína associada à membrana e ao citoesqueleto
Referência: http://atlasgeneticsoncology.org//Tumors/Images/MeninKaryo.jpg


PROGNÓSTICO
A maioria dos meningiomas é benigna. Eles, geralmente, não apresentam recorrência se tiverem sido totalmente ressecados cirurgicamente, incluindo sua aderência dural. As raras variantes agressivas (malignas e metastizantes), apresentam prognóstico menos favorável e maior risco de recorrência.

REFERÊNCIAS

  • ROBBINS; CONTRAN. Bases Patológicas das Doenças. 7 ed.
  • RENGACHARY, S. S. Principles of Neurosurgery. 2 ed.

Bruna Ciarlini
Liga de Patologia
Universidade Federal do Ceará

Um comentário:

  1. meu filho na idade de 05 anos foi submetido a crurgia retirou o tumor fez radioterapia aficou relativamente bem mas agora aos 30 anos tudo voltou mas agora paralisou um lado do corpo e perdeu movimentos da mão e do braço fea outra cirurgia e retirou outro tumor foi tudo bem na cirurgia saiu do hospital sem sequelas, mas agora depois de 40 dias o corpo do lado direito paralisou tudo de novo esta sem apetite esta tendo convulsões e não estou entendendo o porque?

    ResponderExcluir