10 de janeiro de 2011

DOENÇA TROFOBLÁSTICA GESTACIONAL (DTG)

INTRODUÇÃO

A Doença Trofoblástica Gestacional abrange um espectro de patologias associadas à gravidez. Didaticamente, podemos dividi-la em quatro modalidades:
• Mola hidatiforme (parcial ou completa)
• Mola invasiva
• Coriocarcinoma
• Tumor trofoblástico de sítio placentário

1 - MOLA HIDATIFORME

Essa afecção se caracteriza pela formação de cistos nas vilosidades coriônicas, além de proliferação trofoblástica variada. A mola tem potencial de evoluir para coriocarcinoma.
Em geral, a paciente se encontra entre o 4º e 5º mês de gravidez e procura a emergência com sangramento transvaginal e com o útero muitas vezes maior do que o esperado para a idade gestacional. A distribuição dessa patologia no grupo de grávidas é bimodal, sendo maior a incidência nas adolescentes e nas parturientes acima de 40 anos.
Histologicamente e citogeneticamente podemos classificar a mola hidatiforme em incompleta (parcial) ou completa (clássica):
1. Mola Parcial: somente algumas vilosidades estão edemaciadas e a proliferação trofoblástica é focal e mínima, limitada ao sinciciotrofoblasto. O cariótipo é triplóide e o embrião é viável, podendo ser visualizadas partes fetais.


Figura 1 - Mola Parcial: observe o embrião formado e a placenta com vesículas esparsas. Fonte: http://centrontg.org/informacionpacientes/pac2.html

Figura 2 - Corte histológico mostrando vilos normais e vilosidades hidrópicas, evidenciando uma mola parcial. Fonte: http://library.med.utah.edu/WebPath/PLACHTML/PLAC067.html

2. Mola Clássica: todas as vilosidades estão edemaciadas e a proliferação trofoblástica é difusa, tanto do sinciciotrofoblasto quanto do citotrofoblasto. O cariótipo é diplóide e não há desenvolvimento embrionário. Tem maior potencial de malignização.

Figura 3 - Mola clássica. Fonte: http://pathologyoutlines.com/placenta.html

Figura 4 - Corte histológico de mola clássica. Fonte: http://pathologyoutlines.com/placenta.html


2 - MOLA INVASIVA


É aquela que tem a capacidade de invadir e algumas vezes perfurar a parede uterina. Morfologicamente, há invasão do miométrio pelas vilosidades hidrópicas e proliferação trofoblástica difusa. A mola invasiva pode progredir e se disseminar localmente em paramétrios ou à distância, atingindo pulmões e fígado. Felizmente, esses implantes não se comportam como metástases verdadeiras.
A mola invasiva responde bem à quimioterapia, contudo sua evolução pode ser catastrófica, levando à perfuração uterina e conseqüentemente à histerectomia terapêutica.

Figura 5 - Aspecto macroscópico da mola invasiva. Fonte: http://www.paully.co.uk/hmole-chorio/site/medics_information_histopathology.html

Figura 6 - Corte histológico de mola invasiva. Veja as vilosidades corionicas invadindo a parede uterina. Fonte: http://www.paully.co.uk/hmole-chorio/site/medics_information_histopathology.html

3 - CORIOCARCINOMA

Neoplasia epitelial maligna de células trofoblásticas que se origina de qualquer forma de gravidez normal ou anormal. Trata-se de tumor altamente invasivo e gerador de muitas metástases, entretanto responde bem à quimioterapia.
É precedido por algumas condições como molas hidatiformes (50%), abortamentos prévios (25%), gravidezes normais (22%), quando é chamado de coriocarcinoma intraplacentário, e outras condições (3%), como gravidezes ectópicas e teratomas genitais e extragenitais.
Morfologicamente, o tumor é mole, carnoso e amarelado, com áreas císticas, necróticas e hemorrágicas. A histologia mostra uma neoplasia epitelial sem formação de vilosidades coriônicas e com proliferação anormal do citotrofoblasto e do sinciciotrofoblasto. Muitas vezes, há anaplasia e mitoses atípicas. Freqüentemente, o tumor metastiza para pulmões, fígado, cérebro e medula óssea, tendo desfecho fatal em muitos casos.

Figura 7 - Coriocarcinoma. Observe a invasão da parede uterina. Fonte: http://museum.med.monash.edu.au/spec/index.cfm?spec=S3U3

Figura 8 - Corte histológico de coricarcinoma mostrando necrose, hemorragia e invasão do miométrio. Não se observam vilosidades coriônicas. Fonte: http://pathologyoutlines.com/placenta.html

Figura 9 - Corte histológico em maior aumento mostrando o contraste entre as células do sinciciotrofoblasto (citoplasma bastante eosinofílico e muitos núcleos) e do citotrofoblasto (células individuais com citoplasma granular). Fonte: http://pathologyoutlines.com/placenta.html

4 - TUMOR TROFOBLÁSTICO DE SÍTIO PLACENTÁRIO (TTSP)

São tumores originados dos trofoblastos intermediários, que compõem o trofoblasto do sítio placentário e o sítio placentário residual (nódulo do sítio de implantação) após a gravidez.
Os TTSP constituem menos de 2% das neoplasias trofoblásticas gestacionais. São compostos por células poligonais que invadem o endométrio. Condições predisponentes são: gravidez normal (50%), abortamento espontâneo (15%) e mola hidatiforme (20%).

Figura 10 - Aspecto macroscópico de um TTSP. Fonte: http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-8675%2806%2970463-6

Figura 10 - Aspecto microscópico de um TTSP. Fonte: http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-8675%2806%2970463-6


PROGNÓSTICO

Em geral, o prognóstico desses tumores é bom já que respondem bem à quimioterapia, exceto nos casos avançados e com múltiplas metástases, o que indica um prognóstico muitas vezes fatal.

REFERÊNCIAS
1. Robbins & Cotran. Patologia: Bases Patológicas das Doenças. 2005. Editora Elsevier.
2. http://centrontg.org/informacionpacientes/pac2.html
3. http://library.med.utah.edu/WebPath/PLACHTML/PLAC067.html
4. http://pathologyoutlines.com/placenta.html
5. http://www.paully.co.uk/hmole-chorio/site/medics_information_histopathology.html
6. http://museum.med.monash.edu.au/spec/index.cfm?spec=S3U3
7. http://www.pathconsultddx.com/pathCon/diagnosis?pii=S1559-8675%2806%2970463-6

Bruno Roberto da Silva Ferreira
Acadêmico de Medicina - UFC
Liga de Patologia

17 comentários:

  1. mostra fotos mais precisas da mola

    ResponderExcluir
  2. boa tarde eu tive uma gravidez desse tipo, e gostaria de saber se tem cura se eu posso engravidar e com quanto tempo. desde ja fico grata e por favor me respondam.

    ResponderExcluir
  3. "Anônimo",

    É preciso realmente saber como foi o diagnóstico da sua doença (o tipo de DTG) e como foi a conduta do seu médico. Há casos que é necessário apenas aguardar algum período de observação para dar seguimento a uma gravidez. Em outros, onde é necessário fazer quimioterapia esse tempo pode ser maior. E há ainda casos em que é feita a retirada do útero, impossibilitando a gravidez. Tudo depende da apresentação da doença e do tratamento instituído, não sendo possível afirmar aqui a sua futura condição.

    Audinne Ferreira
    Integrante da Liga de Patologia - UFC
    * www.pacientesensinam.blogspot.com/ *

    ResponderExcluir
  4. Tive um aborto com 7 semanas, começou com um pequeno sangramento, onde fiquei de repouso porém não adiantou, 3 dias depois tive um sangramento maior e a expulsão do saco gestacional e do embrião. Na minha anatomo o resultado está assim : macroscopico - coagulos sanguineos, tendoem meio multiplos fragmentos irregulares de tecido mole e roseo, medindo em conjunto 3x2.5x2cm (1b/vf)
    microscopico - os cortes corados pela hematoxilina-eosina mostram faixas de decidua com focos hemorrgicos, com capilares congestos, além de fragmentos de endometrio gravidico e coagulos sanguinios, com restos necroticos. Não há vilos coriais neste material.

    Posso ter tido Mola hidatiforme incompleta, já que eu havia escutadoo coração do bebe um dia antes do aborto.

    ResponderExcluir
  5. Pode sim, Letícia. Porém outras afecções também podem ser aventadas, como abortamento espontâneo, vasculopatias e outros.

    Audinne Ferreira
    Integrante da Liga de Patologia - UFC
    * www.pacientesensinam.blogspot.com/ *

    ResponderExcluir
  6. olá podeira me ajudar? minha gestação chegou há 8 semanas e 2 dias pela ultra, mas ja estava indo para a 12 semanas quando descobri, tive aborto retido.

    minha anato:

    ANÁTOMO PATOLÓGICO 12RO1759AP

    MACROSCOPIA:
    Material recebido fixado em formalina e consiste de produto de curetagem uterina, constituído por múltiplos
    fragmentos irregulares de tecido que medem em conjunto 4,0 x 3,0 x 2,0cm. Estes apresentam aspectos ora
    granuloso de coloração pardacenta e consistência elástica, ora finamente granulosa de coloração vinhosa
    com consistência friável.
    Fragmentos representativos são enviados a exame histológico, sendo:1B/ MF

    MICROSCOPIA:
    Os cortes histológicos revelam fragmentos deciduais e ovulares. A decidua é formada por células poligonais
    de núcleos volumosos com focos de necrose. Há grande quantidade de coágulos sanguíneos. Observam-se
    também vilosidades coriônicas revestidas por camada única ou dupla de células trofoblásticas típicas. Não há
    sinais de malignidade.

    CONCLUSÃO:
    PRODUTO DE CURETAGEM UTERINA:
    VILOSIDADES CORIÔNICAS E FRAGMENTOS DE DECÍDUA PARCIALMENTE NECRÓTICOS.




    não sei como interpretar...
    __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

    ResponderExcluir
  7. oi queria saber o que pode acontecer se eu engravidar durante o tratamento? ja estou com 8 meses mas acho que estou gravida

    ResponderExcluir
  8. Boa noite,Preciso esclarecer uma dúvida,tive uma gestação de 11 semanas e estava tendo sangramento ( tipo "borra de café"),fiz um ultrasson e constatou uma gestação anembrionada,logo o meu organismo mesmo rejeitou o mesmo, tive que fazer uma curetagem, saiu o resultado do anátomo patológico e veio com a seguinte conclusão: vilosidades coriônicas e fragmentos de decídua parcialmente necróticos; ausencia de sinais de malignidade no material examinado. Será que vou poder ter uma gestação normal futuramente?

    ResponderExcluir
  9. Ola estou de 8 semanas e na minha trans deu anel trofoblastico evidemte medindo 30,6 mm diametro medio. O q sigmifica isso????

    ResponderExcluir
  10. oiii eu tbm tive uma gravidez assim sera qe vou poder engravidar dps ou nao preciso da resposta pois sou doida pra ser mae

    ResponderExcluir
  11. minha filha de 17 anos teve uma gravidez molar ,teve aborto retido, fez duas cureagens e nao adiantou começou a ter hemorragias constantes ate pagarmos uma consulta e descobrirmos essas molas a dela era uma mola completa esta fazendo exames toda semana mais ainda sim estou preocupada , tenho razões para estar ?

    ResponderExcluir
  12. RECEBI O RESULTADO DA BIOPSIA DA MINHA CURETAM HOJE E O MESMO DIZ O SEGUINTE:
    MACROSCÓPIA:
    MATERIAL RECEBIDO FIXADO EM FORMALINA, E CONSISTE DE PRODUTO DE CURETAGEM UTERINA, CONSTITUÍDO POR MÚLTIPLOS FRAGMENTOS IRREGULARES QUE MEDEM EM CONJUNTO 4,5 X 3,5 X 2,5CM. ESTES APRESENTAM ASPECTOS ORA GRANULOSOS DE COLORAÇÃO PARDOCENTA E CONSISTÊNCIA ELÁSTICA, ORA FINAMENTE GRANULOSA, DE COLORAÇÃO VINHOSA, COM CONSISTÊNCIA FRIAVEL.
    FRAGMENTOS REPRESENTATIVOS SÃO ENVIADOS A EXAME HISTOLOGICO SENDO: 1B/MF

    MICROSCOPIA:
    OS CORTES HISTOLÓGICOS REVELAM, FRAGMENTOS DECIDUAIS E OVULARES. A DECIDUA É FORMADA POR CELULAS POLIGONAIS DE NUCLEOS VOLUMOSOS COM FOCOS DE NECROSE, HÁ GRANDE QUANTIDADE DE COAGULOS SANGUINEOS, OBSERVAM-SE TAMBEM VILOSIDADES CORIONICAS REVESTIDAS POR CAMADAS UNICAS OU DUPLAS DE CELULAS TROFOBLASTICAS TIPICAS. NÃO HAVENDO SINAIS DE MALIGNIDADE.

    CONCLUSÃO:
    VILOSIDADES CRONICAS E FRAGMENTOS DE DECIDUA PARCIALMENTE NECROTICOS

    ResponderExcluir
  13. Tive um aborto na sexta semana de gravidez. no laudo disia: fragmentos irregulares de coloraçao vinhosa e aspecto menbranaceo tendo de permeio tecido esponjojo e pardo claro vilosidade cronionicas sao revestidas por cito e sinciciotrofoblasto, apresentando estroma vascularizado. O que quer dizer isto?

    ResponderExcluir
  14. Olá boa tarde, tive um aborto na 8ª semana de gestação, no laudo dizia: Material constante de vários fragmentos irregulares, vinhosos com áreas esbranquiçadas e firme elásticas, não apresentando membrana, medindo em conjunto 4,0x3,5x2,0cm. O que isso quer dizer????
    Respondam por favor

    ResponderExcluir
  15. De que forma essa doença surge no organismo?

    ResponderExcluir
  16. Olá boa tarde, tive um aborto de 13 semana de gestação, no laudo dizia: Macroscopia: Recebido em formalina, o Material para exame consta de vários fragmentos teciduais irregulares, acastanhados, elásticos, o maior com 3.0x2.0x1.0cm.
    Microscopia: Corte histológicos mostram vilosidades coriônicas com duplo revestimento trofoblástico e alterações regressivas. a preparação inclui fragmentos deciduais exibindo congestão vascular.

    diagnóstico: Restos Ovulares...
    Respondam por favor.

    ResponderExcluir